Redes Social

É carnaval, Carai!


Deu o carai em Vitória! A cidade respira, transpira, urina e defeca carnaval. Carnaval, para os menos afortunados cognitivamente é uma festa popular que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C.. Dizem, até, que Sócrates, Platão e Aristóteles brincavam na ágora.   Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. Posteriormente, os gregos e romanos inseriram bebidas e práticas sexuais na festa, deixando a igreja encaraiada. Com o passar do tempo, gostando da putaria, o carnaval passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica, o que ocorreu de fato em 590 d.C. A

A partir da adoção do carnaval por parte da Igreja, a festa passou a ser comemorada através de cultos oficiais, o que bania os “atos pecaminosos”. Tal modificação foi fortemente espantosa aos olhos do povo, já que fugia das reais origens da festa, como o festejo pela alegria e pelas conquistas.

Em aproximadamente 1723, o carnaval chegou ao Brasil sob influência europeia. Ocorria através de desfiles de pessoas fantasiadas e mascaradas. Somente no século XIX que os blocos carnavalescos surgiram com carros decorados e pessoas fantasiadas de forma semelhante à de hoje.

Vitória de Santo Antão, já teve seu apogeu carnavalesco com os seus clubes e troças, caracterizados pelos nomes de animas, como Leão, Girafa, Coelho, Urso (Branco e Preto), Camelo, enfim, uma selva inteira. Porém, deu o carai em alguns Vitorienses que também são Baianos  e abafaram os tradicionais clubes com os trios elétricos – existe outra postagem que explica o que são trios elétricos -  e suas bandas de axé. Desta forma, os Vitorienses que também são Baianos conseguiram tirar metade do brilho e da fama do carnaval das alegorias . 

Contudo, não mataram, ainda, o bom e velho Frevo. Frevo, para os menos afortunados cognitivamente,  é um ritmo musical e uma dança brasileira com origens no estado de Pernambuco, misturando marcha, maxixe e elementos da capoeira. A palavra frevo vem de ferver, por corruptela, frever, que passou a designar: efervescência, agitação, confusão, rebuliço; apertão nas reuniões de grande massa popular no seu vai-e-vem em direções opostas, como o Carnaval, de acordo com o Vocabulário Pernambucano, de Pereira da Costa.

Como os escribas do Blog também curtem uma encaraiação, o Deu o Carai em Vitória, entrará em recesso voltando com novas reflexões na próxima quinta-feira (10/03), isto é, se tiverem vivos. Geralmente eles ficam em coma alcoólico, mas sobrevivem.


Deu o Carai em Vitória
Informações complementares do Portal Brasil Escola e Enciclopédia Livre Online (Wikipédia)
Imagens: Google Imagens

2 comentários:

  1. Prticularmente não gosto do Ccarnaval (a festa em si) e nem a data. Estou te seguindo, se possível, siga-me, www.yr-f.com

    ResponderExcluir
  2. uauuuu adorei seu blog
    eu simplismente amo filosofia

    ResponderExcluir

Opinião é como cheque: todo mundo pode emitir, mas não necessariamente vale alguma coisa. Respeito é bom e todo mundo gosta.

 

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA
Revista Fragmentos

Travessia Mata Centro

Escola Virtual

Ven1

Dieguinho Gravações

Marcelo de Marco

Amor por Clássico