Redes Social

O PROBLEMA DA POLÍTICA NO BRASIL É O BRASILEIRO



Já faz parte do consciente coletivo brasileiro falar mal de políticos. Programas de humor barato e pseudo-intelectuais como CQC usam e abusam dessa característica do nosso povo para ganhar pontinhos no Ibope. Fazem piada, brincam com significado de siglas partidárias, como o dia em que uma criança - uma criança!!! - entrevistou um deputado do PMDB e perguntou para o mesmo se a sigla significava "pôr mais dinheiro no bolso". Tudo isso com o objetivo não de incentivar a politização do nosso povo, mas apenas de fazer humor fácil. Falar mal de político sempre dá algum retorno. As pessoas gostam. O brasileiro pira - desculpe a expressão - quando ouve o bipolar Datena gritar palavras de ódio contra parlamentares no seu programa de "jornalismo" à tarde. Até o insignificante SNL Brasil entrou na onda de tirar sarro de político e conseguiu retorno: aumentou um ponto na audiência.

Mas o que esses programas nunca abordam - por motivos quase óbvios - é que o problema da política no Brasil não está necessariamente nos políticos, mas nos brasileiros. Em qualquer profissão há bons e maus profissionais. Ha bons e maus médicos, bons e maus engenheiros, bons e maus pedreiros, bons e maus enfermeiros e bons e maus políticos. Se nos tratamos num médico e o achamos ruim mudamos de médico. Se contratamos um mau pedreiro o dispensamos e procuramos outro. Mas se votamos num político e ela faz um mau trabalho votamos nele novamente. Curioso isso, não?

Mas isso vai além de simplesmente votarmos em pessoas ruins. Acho que reeleger gente incompetente é apenas a ponta de um iceberg que representa uma característica perigosa do brasileiro: somos um povo despolitizado. Totalmente despolitizado.

Sim, somos um povo despolitizado. O brasileiro não sabe sequer a diferença entre Prefeitura, Governo do Estado e Governo Federal. Vota sem saber qual a função daquele cargo em que está votando. Brasileiro não sabe o que faz um vereador, nem um deputado federal - daí ter eleito o Tiririca, que fez campanha dizendo não saber o que o Deputado faz. O povo também não sabe. E por não saber a função de um deputado não sabe de quem cobrar. Quer a prova? Pergunte a uma pessoa qualquer a função de um Senador.

Essa despolitização é perigosa para o Brasil. Coloca nosso país nas mãos de aproveitadores que usam o país para satisfazer sua ganância pelo poder. Com essa despolitização o brasileiro reelegeu José Sarney. Com essa despolitização o brasileiro não percebeu que a eleição da Dilma foi apenas uma forma de manter o PT no governo sob o comando do Lula, mas que ela não tinha qualquer competência para assumir uma responsabilidade desse tamanho - a forma como ela lida com greves é um bom exemplo disso.

Uma solução? Incentivar a politização do brasileiro. Como? Talvez começando pelo começo... Ensinar política nas escolas seria uma forma bastante interessante de tentar quebrar essa cultura despolitizada do brasileiro. Mas política ensinada pra crianças por pessoas não partidárias, para não termos o risco de ao invés de ensinar política estarmos recrutando futuros petistas. E sou a favor também da filiação partidária. Penso que qualquer pessoa que diga ter o desejo de ver um futuro melhor para o Brasil deveria se filiar a um partido político. Conhecer a ideologia, a história e a atualidade dos partidos brasileiros e se filiar a um deles. Filiação partidária não significa apenas concorrer à eleição, mas estar envolvido nos assuntos do partido, saber o que os deputados daquele partido fazem em Brasília, quais os critérios que o partido usa para lançar candidatos, etc. Sem isso não vejo outra solução.

Do jeito que está não dá pra deixar mais. A política no Brasil chegou a níveis baixíssimos. A qualidade de nossos eleitos é péssima. E a tendência é piorar. Por quê? Porque os que votam não prezam pela qualidade do voto. Votam em qualquer um. Por isso temos Tiririca, Marquito e etc.

Pior do que tá fica, sim! E como fica!


Blog Deu o Carai em Vitória
Texto retirado integralmente do Blog Novas Ideias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião é como cheque: todo mundo pode emitir, mas não necessariamente vale alguma coisa. Respeito é bom e todo mundo gosta.

 

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA
Revista Fragmentos

Travessia Mata Centro

Escola Virtual

Ven1

Dieguinho Gravações

Marcelo de Marco

Amor por Clássico