Redes Social

O Helenismo

Se o problema possui solução não devemos nos preocupar com ele. E se não possui solução, de nada adianta nos preocuparmos.(*)

Em primeiro plano, o imperador Alexandre Magno.

O período conhecido como helenístico  foi um marco entre o domínio da cultura grega e o advento da civilização romana. Os sopros de tão inspiradores que foram se disseminaram na Grécia, nesta época, por toda uma região exterior conquistada por Alexandre Magno, rei da Macedônia.

Para os menos afortunados cognitivamente, Alexandre Magno, também chamado de Alexandre, o Grande, ou somente Alexandre, ou então Rainha da Massagem, foi a rainha o maior rei e jogador de truco que Grécia e a Macedônia tiveram, além de ser também um grande mágico, fazendo milhares de salsichas desaparecerem e aparecerem. Com a ajuda de seu cavalo Bucéfalo e de muitos soldados grandes e fortes, Alexandre conquistou o mundo, colocando em prática a Operação Rosa-Choque.

Com suas investidas bélicas ele incorporou ao universo grego o Egito, a Pérsia e parte do território oriental, incluindo a Índia.

Neste momento desponta algo novo no cenário mundial, uma cultura de dimensão internacional, na qual se destacam a cultura e o idioma grego. Esta era tem a duração de pelo menos trezentos anos, encontrando seu fim em 30 a.C., com a invasão do Egito pelos romanos.

O período helenístico  é caracterizado principalmente por uma ascensão da ciência e do conhecimento. A cultura essencialmente grega se torna dominante nas três grandes esferas atingidas pelo Helenismo, a Macedônia, a Síria e o Egito. Mais tarde, com a expansão de Roma, cada um desses reinos será absorvido pela nova potência romana, dando espaço ao que historicamente se demarca como o final da Antiguidade. Antes disso, porém, os próprios romanos foram dominados pelos gregos, submetidos ao Helenismo, daí a cultura grega ser depois perpetuada pelo Império Romano.

Agora não havia mais limites entre os diferentes territórios, as diversas culturas e religiões. Antigamente cada povo cultuava seus próprios deuses, mas com a difusão da cultura grega tudo se transforma em um grande caldeirão sincrético, no qual misturam-se as mais variadas visões religiosas, filosóficas e científicas. Alexandria era o grande centro da cultura helenística, especialmente no campo das artes e da literatura.

Entre os alexandrinos floresceram as mais significativas edificações culturais deste período – o Museu, que englobava o Jardim Botânico, o Zoológico e o Observatório Astronômico; e a famosa biblioteca de Alexandria, que abrigava pelo menos 200.000 livros, salas nas quais os copistas trabalhavam ativamente e oficinas direcionadas para a confecção de papiros. Outro núcleo cultural importante foi o de Antioquia, capital da Síria, localizado próximo à foz do rio Orontes, em pleno Mediterrâneo.

A era helenística conheceu o incrível progresso da história, com destaque para Polibius; a ascensão da matemática e da física, campos nos quais surgem Euclides e Arquimedes; o desenvolvimento da astronomia, da medicina, da geografia e da gramática. A literatura conhece o apogeu com o poeta Teocritus, que prepondera especialmente na poesia idílica e bucólica.

Na filosofia despontaram quatro correntes filosóficas voltadas para a descoberta da fórmula da felicidade: os cínicos, que cultivavam a idéia de que ser feliz dependia de se liberar das coisas transitórias, até mesmo das inquietações com a saúde; os estóicos e os epicuristas, que acreditavam em um individualismo moral; e o neoplatonismo, movimento mais significativo desta época, inspirado pelos pré-socráticos Demócrito e Heráclito.

Nas artes sobressaíram alguns clássicos da Era Antiga, como a Vênus de Milo, Vitória de Samotrácia e o grupo do Laocoonte. Religiosamente pode-se dizer que o Helenismo era a contraposição pagã à nova religião que dominaria o cenário histórico a partir da preponderância de Roma, o Cristianismo.

São alguns Helênicos:

  • Euclides 360a.C.-295a.C.
  • Pirro de Elis 360a.C-275a.C.
  • Epicuro 341a.C-270a.C
  • Aristarco de Samos 310a.C(c.)-230a.C
  • Arquimedes 287a.C-212 a.C.
  • Eratóstenes 276a.C-194a.C
  • Plotino 205-270
  • Epiteto 55-135
  • Ptolomeu 100(c.)-178(c.)


Informações complementares: Portal Info Escola, Wikipédia e Deciclopédia
Imagens: Google Imagens
(*) Epiteto

Um comentário:

  1. Achei seu blog mt interessant e estou seguindo-o!

    qnd tiver um tempinho, de uma passadinha no meu?


    bjooos

    http://cabecafeminina.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Opinião é como cheque: todo mundo pode emitir, mas não necessariamente vale alguma coisa. Respeito é bom e todo mundo gosta.

 

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA
Revista Fragmentos

Travessia Mata Centro

Escola Virtual

Ven1

Dieguinho Gravações

Marcelo de Marco

Amor por Clássico