Redes Social

EDUCAÇÃO E CULTURA - A Independência do Brasil





Para os menos afortunados cognitivamente e culturalmente que estão se perguntando porque é feriado no dia 07 de setembro, pelo triste dever informamos que foi nesta mesma data em 1822  que ocorreu a (in)dependência do Brasil, sil, sil!

Em 1822  o Brasil passou de uma colônia de férias e lixão de Portugal para ficar na merda sozinho. Tudo começou quando a Família Real veio visitar esta Nação para ver se havia ainda alguma riqueza  para usar e para fugir das dívidas contraídas depois de jogos de apostas em que perdeu todas. Quando chegaram aqui, junto com todos os seus objetos valiosos (que seriam confiscados), ficaram um bom tempo. Voltaram mais tarde, mas esqueceram o Pedrinho, que ficou puto, bebeu todas em uma loja de conveniências de um Posto Ipiranga e lá decretou a Independência. O principal benefício desse acontecimento para os brasileiros de hoje foi o surgimento de um feriado, para que todos descansem da escola ou do trabalho.

Para quem ainda está se perguntando quem é ou quem foi “Pedrinho”, vale lembrar que Pedrinho, para os íntimos, é como era chamado  Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon, mais popularmente conhecido como D. Pedro I do Brasil e IV de Portugal, cujo foi o primeiro imperador e também o primeiro chefe de Estado e de governo do Brasil (de 1822 a 1831), além de ter sido o 28º Rei de Portugal (durante sete dias de 1826).

A verdade é que Pedrinho foi o primeiro cagão do Brasil, pois eis que na tarde de 7 de setembro de 1822, ao cruzar a esquina da Ipiranga com a São João a tropa viu-se mais uma vez obrigado a parar diante da emergência do monarca, que sentia um grande incomodo no seu intestino. Como não conseguiu chegar até o banheiro do Posto Ipiranga, Dom Pedro optou por dar sua Cagada Real ali, no rio mesmo. Mas qual não foi a surpresa de nosso herói ao perceber que a prefeitura, que não era a de Vitória de Santo Antão,  havia canalizado o Ipiranga, o que portanto acabou com os planos imperiais para aquele momento.

Como a incontinência tornava as fezes reais bastante líquidas, episódios de cagança nas botas e calças eram constantes. Por este motivo Dom Pedro consumia quantidades ímpares de papel higiênico perfumado, (como se cusentisse cheiro...) que na época era provida pela chamada Intendência das Fezes. Naquela tarde, ao defecar, Dom Pedro como de costume solicitou papel higiênico para minimizar o efeito em suas botas, quando recebeu o aviso de que este havia acabado por conta de uma falha logística da intendência.  Indignado, puteado e todo cagado,  Dom Pedro I levanta-se com fúria, ergue a espada e exclama:

Intendência de morte!
As gargalhadas da tropa perante a situação impossibilitaram que os soldados ouvissem corretamente o grito:
- O que foi que ele disse?
- Sei lá. Independência ou morte? Acho que é isso.

...e assim, na cagada, no barro, aconteceu o famoso brado que marcou a independência brasileira.


Informações complementares: Wikipédia e Desciclopédia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião é como cheque: todo mundo pode emitir, mas não necessariamente vale alguma coisa. Respeito é bom e todo mundo gosta.

 

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA
Revista Fragmentos

Travessia Mata Centro

Escola Virtual

Ven1

Dieguinho Gravações

Marcelo de Marco

Amor por Clássico