Redes Social

10% do PIB para a Educação


Como em uma empresa - escola de São Paulo: bônus para os que atingem as metas
Para os vitorienses desinformados, nesta última terça-feira a Comissão Especial do PNE a Câmara aprovou o texto que repassa 10% PIB para a educação. Os políticos comemoraram a vitória, pois agora será mais dinheiro para desvios e/ou outras aplicações.

Para você que desconhece cognitivamente as famigeradas siglas brasileiras o PNE é o Plano Nacional de Educação que estabelece metas de desenvolvimento e investimentos na Educação e o PIB é o Produto Interno Bruto, ou seja, a soma de todas as riquezas produzidas dentro do País.         

Hoje, união, estados e municípios aplicam juntos cerca de 5% do PIB na área. Pelo texto aprovado, os investimentos no setor devem chegar a 7% no prazo de cinco anos e a 10% até o final da vigência do plano, que é de 10 anos. A proposta agora segue para o Senado. As informações são das agências Câmara e Brasil.

O Ministério da Educação (MEC), Aloizio Mercadante, já se manifestou dizendo que o novo investimento será “uma tarefa política difícil de ser executada”. Por meio de nota, o ministro afirma que a medida implicaria em dobrar os recursos para a educação nos orçamentos das prefeituras, dos governos estaduais e do governo federal. "Equivale a colocar um MEC dentro do MEC, ou seja, tirar R$ 85 bilhões de outros ministérios para a educação", diz.

O Plano Nacional de Educação estava em tramitação na Câmara desde 2010. Ele estabelece 20 metas educacionais que passam por todos os níveis de ensino, da creche à pós-graduação, incluindo objetivos como a erradicação do analfabetismo e a oferta do ensino em tempo integral em pelo menos 50% das escolas públicas.

COMENTÁRIO:

Sem dúvida será uma tarefa política difícil de ser realizada. Afinal é nesse momento que varias classes empresarias e políticas pensam: “Como vamos manter o povo na Burrice desse jeito, só vamos ter a oportunidade de desviar mais agora”.

E Como o País, com suas Centenas de Ministérios, pode crescer sem uma população estruturada educacionalmente? A indústria não cresce sem educação, a agricultura não cresce sem educação. Sem educação não há produção.


Mais informações: Revista Veja online

2 comentários:

  1. De fato, seria uma grande vitória para os profissionais da educação e para a própria educação de uma forma geral se vivêssemos em um país sério e comprometido com o futuro . Porém, vivemo em um lugar onde a única preocupação dos polítocos são os seus bolsos.

    ResponderExcluir
  2. Este loteamento só foi calçado por que tem o sobre-nome Lira, aqui no alto José de lemos só será calçado se permanecer a tradição e antonio de lemos for prefeito. vAmos esperar sentados.

    ResponderExcluir

Opinião é como cheque: todo mundo pode emitir, mas não necessariamente vale alguma coisa. Respeito é bom e todo mundo gosta.

 

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA
Revista Fragmentos

Travessia Mata Centro

Escola Virtual

Ven1

Dieguinho Gravações

Marcelo de Marco

Amor por Clássico