Redes Social

A Direita e a Esquerda num País central




Não existe nada mais antigo que a tal da concepção de Esquerda e Direita para os nossos políticos. Em primeiro lugar, porque é difícil saber hoje em dia, no Brasil, quem está de que lado. Tem gente chutando com as duas, jogando no meio de campo, atacando e se defendendo como podem. Em segundo lugar, porque os políticos brasileiros poderiam ser divididos em outras categorias, mais de acordo com eles mesmos. Corruptos e não-corruptos, honestos ou desonestos, coerentes ou incoerentes e outros adjetivos. Masturbadores ou platônicos. Mesmo porque, no plenário, ninguém se conserva nem à Direita, nem à Esquerda (como na conservadora Inglaterra) e sim, embolados lá na frente, numa gritaria de campos de futebol em jogo de clássico. Sai até porrada. Com a (mão) Direita ou com a Esquerda, sem nada de ideológico nisso.

Mas é sempre interessante pensar sobre a Esquerda e a Direita, nos dias de hoje.
Vocês já notaram que quem trabalha mesmo é a Direita e a Esquerda fica sempre na dela, na maciota? Às vezes levando a fama, às vezes CUTucando com a vara curta?
E não é de hoje. Observem uma pessoa a tirar água num poço. Quem fica girando a manivela do sarilho é a Direita. A Esquerda fica apenas alisando a corda, numa boa.

Quem é que penteia o cabelo? A Direita. A Esquerda fica numa coadjuvância, dando uns tapinhas, armando um possível topete. Aliás, a Esquerda sempre curtiu um certo topete.

Quem é que dirige o carro? É a mão Direita. Manobras, câmbio. A mão Esquerda fica encostada na janela, relaxada, tomando um solzinho. E a perna Esquerda que apenas empurra a embreagem? Quem trabalha mesmo é a Direita, que acelera, que freia. Hoje em dia, nos países do primeiro mundo, com a invenção do carro hidramático, suprimiram de vez a função da Esquerda. Nos EUA a Direita é quem faz tudo.

Até na masturbação, a Direita trabalha muito mais. A Esquerda, no máximo segura a Playboy tremulamente.

Quem é que pisca? A vista Direita. Enquanto a Direita se esforça para ficar se abrindo e fechando, a Esquerda fica de olho arregalado, na paquera, talvez. Tem gente que pisca com a Esquerda também, mas é muito mais complicado.

Na hora da impressão digital, as autoridades exigem o dedão da Direita, que fica todo sujo. Neste caso, depois, a Direita ajuda na limpeza da sujeira.

E quando fazemos o sinal da cruz com a Direita, a Esquerda fica na dela para, apenas no final, juntar as palmas das mãos, como que agradecendo o trabalho da outra, a Direita. E por falar nisso, de que lado estava o Bom Ladrão? À direita ou à esquerda de Cristo?

No jogo do baralho então é impressionante. A Direita tem que comprar as cartas, descartar, fumar o cigarro, pegar o copo, criar climas. E a Esquerda? Fica o tempo todo na dela, apoiada no cotovelo, segurando as cartas, como se nem estivesse ali, esperando que a Direita introduza ali a carta certa, a boa, a da vez.

O próprio Aurélio, que a gente folheia com a Direita, diz que o canhoto é o "inábil, desajeitado, desastrado", não poupando elogios para o verbete destreza: "habilidade, aptidão, sagacidade, astúcia". Fecha-se o dicionário com a Esquerda.


Texto extraído do Blog do Mário Prata

Blog Deu o Carai em Vitória

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião é como cheque: todo mundo pode emitir, mas não necessariamente vale alguma coisa. Respeito é bom e todo mundo gosta.

 

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA

OUTROS BLOG'S DE VITÓRIA
Revista Fragmentos

Travessia Mata Centro

Escola Virtual

Ven1

Dieguinho Gravações

Marcelo de Marco

Amor por Clássico